sexta-feira, 11 de setembro de 2009

11 DE SETEMBRO - IN MEMORIAM


Comemora-se hoje o 8º aniversário do ataque aéreo às Torres Gémeas de Nova Iorque e ao Pentágono e o desaparecimento de um quarto avião algures.


Este ataque, certamente condenável, e cujos mortos tivemos de chorar, foi imediatamente atribuído a Al-Qaeda, e constituiu pretexto para a invasão do Afeganistão primeiro e do Iraque depois, além de ter permitido a Bush a invenção de um “Eixo do Mal”, que previa subsequentes incursões na Síria e no Irão. Os reveses das acções militares não permitiram à administração norte-americana a prossecução das suas acções bélicas e o fim do mandato da parelha Bush/Cheney e a eleição de Obama vieram temperar os ímpetos imperialistas dos Estados Unidos.


Muita gente se interroga ainda hoje, em todo mundo, sobre o que realmente aconteceu no dia 11 de Setembro de 2001, pois só a destruição das Torres por dois aviões está inequivocamente provada. E as interrogações são maiores quando se procura esclarecer, de forma insofismável, as causas do ataque.


Não possuindo informações fidedignas sobre o assunto nem pretendendo alimentar a teoria da conspiração, deixamos aos leitores a indicação de alguns livros, entre os muitos publicados, que podem lançar alguma luz e fornecer algumas pistas sobre o acontecimento mais notável do princípio do século XXI:


- 11 septembre 2001 – L’effroyable imposture – Thierry Meyssan, 2002

- Le Pentagate – Thierry Meyssan, 2003

- La face cachée du 11 septembre – Eric Laurent, 2004

- The New Pearl Harbor – David Ray Griffin, 2004

- 9/11 On Trial, the World Trade Center Collapse –Victor Thorn, 2005


Os dois primeiros volumes estão traduzidos em português.



2 comentários:

Anónimo disse...

Só se sabe que dois aviões embateram nas torres? Não foi possivel pelas listas de passageiros e videos dos aeroportos identificar os terroristas,e posteriormente conhecer o seu percurso em escolas de pilotagem nos E.U.A.,o seu trabalho conspiratório em Hamburgo e noutros locais,e as suas ligações à Al-Queda,que aliás se apressou a reinvidicar o atentado? Supunha que sim,mas claro que é sempre possivel criar lendas e narrativas,indústria de resto próspera,como se vê pela bibliografia apresentada e que,confesso a minha culpa, não li,ignorando assim as terriveis perversidades imperialistas que "estarão por detrás" da versão oficial... Mea culpa!!

Do Médio-Oriente e afins disse...

PARA O ANÓNIMO DAS 23:48:

Nada mais posso fazer senão recomendar-lhe a leitura dos livros que mencionei no meu texto.