domingo, 1 de março de 2015

REGRESSO A LJUBLJANA: O CASTELO



Continuando a recordar Ljubljana, onde estive há já alguns meses, escreverei hoje sobre o Castelo (Ljubljanski Grad), situado na colina que domina a cidade.


O castelo começou a ser construído cerca de 1200 AC e tornou-se um local estratégico para o exército romano. A mais antiga menção desta fortificação consta de um pergaminho, Nomina defunctorum (nomes dos mortos), conservado nos arquivos da Catedral de Udine e datado, provavelmente, do século XII, onde se menciona que o nobre Rodolfo de Tarcento, jurista do Patriarcado de Aquileia, outorgou ao patriarcado 20 quintas ao lado do castelo (castrum Leibach).



De acordo com vários documentos, em 1144 o castelo pertencia aos duques de Caríntia e em 1335 tornou-se propriedade da Casa de Habsburg. Foi praticamente demolido no século XV e a sua reconstrução iniciou-se a partir do século XVI. 



A missão fundamental do castelo era proteger o Império das invasões otomanas, bem como das revoltas dos camponeses.


 A Torre de Vigia foi construída em 1848.


Com o passar do tempo, não sendo habitado e perdendo importância militar o castelo ficou progressivamente arruinado, mas no século XIX foi parcialmente remodelado, para assumir as funções de prisão e de fortaleza, o que o tornou impopular. Entre os detidos mais famosos contam-se o revolucionário italiano Silvio Pellico, o primeiro-ministro húngaro Lajos  Batthyany e o célebre escritor esloveno Ivan Cankar.


Em 1905, o castelo foi adquirido pela Câmara de Ljubljana, cujo presidente, Ivan Hribar, pretendia lá instalar o museu da cidade. Este propósito não se concretizou, acabando a municipalidade por nele alojar famílias pobres, que ali permaneceram até finais dos anos sessenta do século passado. Nos anos noventa, após nova remodelação, passou a ser utilizado para festas de casamento e eventos culturais. É hoje um dos principais locais de atracção turística da cidade.


O funicular que liga a Praça Vodnikov ao cimo da colina, mesmo à entrada do castelo, foi construído em 2006. Este elevador é utilizado por todos aqueles que pretendem evitar o caminho pedestre, aliás não muito longo, que parte do largo junto à Igreja de S. Floriano e sobe pela encosta até a uma das portas do castelo.





Na base da encosta, no lado da entrada do funicular, fica a Praça Vodnikov, onde está instalado o Teatro de Marionetas. Em frente, a estátua de Valentin Vodnik (1758-1819), padre, poeta e jornalista esloveno, natural de Ljubljana, grande activista do tempo do Iluminismo.







Vistas a partir do Castelo:




quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

REGRESSO A LJUBLJANA: AS IGREJAS (CONTINUAÇÃO)



Igreja S. Floriano


Continuando a peregrinação pelas igrejas de Ljubljana, outra igreja que não consegui visitar foi a Igreja de S. Floriano, situada em Gornji Trg, templo que data de 1696.

Igreja S. Floriano (Fonte)

Deve salientar-se a fonte de S. Floriano e a estátua de S. João Nepomuceno, na fachada.

Igreja S. Floriano (Estátua S. João Nepomuceno)

Igreja S. Floriano (Estátua S. João Nepomuceno, pormenor)


Igreja Sérvia

Em compensação, encontrei aberta, prestes a encerrar, quando saía da Galeria Nacional, a Igreja Ortodoxa Sérvia de S. Cirilo e S. Metódio, entre a Rua Tivolska e a Rua Prešeren.

Igreja Sérvia

Possui cinco cúpulas com cruzes douradas e foi construída em 1940, segundo projecto do arquitecto Momir Korunović. O iconóstase é do pintor Mirko Šubic.

Igreja Sérvia

A primeira pedra foi lançada em 1932 pelo patriarca Varnava Rosić, da Sérvia, e a igreja foi consagrada em 23 de Outubro de 2005, pelo patriarca Pavle, da Sérvia, com a presença do presidente Janez Drnovšek, da Eslovénia e do arcebispo de Ljubljana, Alojz Uran.


Igreja Sérvia

No acto da consagração, foram depositadas na igreja as relíquias de Santo Atanásio, trazidas do Vaticano e simbolizando a integração da unidade cristã (católicos e ortodoxos).

Križanke

O Mosteiro da Santa Cruz dos Cavaleiros da Ordem Teutónica (Križanke, que significa cruzado), hoje desafectado do serviço religioso, encontra-se na Praça da Revolução Francesa.

Križanke

Começado a construir em 1228, foi danificado pelo terramoto de 1511 e parcialmente reconstruído entre 1567 e 1579. A igreja original foi completamente remodelada em estilo barroco em 1714/5, em forma de cruz grega, segundo projecto do arquitecto veneziano Domenico Rossi.

Križanke

O Hall dos Cavaleiros foi construído durante o século XVIII, tendo Križanke continuado a servir como mosteiro até 1945, data em que o complexo foi nacionalizado.

Križanke

Em 1952, os representantes da cidade encarregaram o arquitecto Joše Plečnic de proceder à remodelação do mosteiro abandonado, transformando-o num recinto para a realização do Festival de Ljubljana.

Križanke

Já exteriores ao perímetro central de Ljubljana, existem ainda algumas outras igrejas importantes que não tive oportunidade de visitar: a Igreja de S. Pedro, a Igreja de S. João Baptista, a Igreja de S. Francisco, a Igreja de S. Miguel e a Igreja da Visitação de Maria.

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

REGRESSO A LJUBLJANA: AS IGREJAS


Catedral

Continuando a recordar a minha estada em Ljubljana, evocarei hoje as igrejas. Tarefa difícil já que, à excepção de duas, encontrei sempre fechadas as outras igrejas que gostaria de visitar.

Catedral

Começarei pela Catedral de S. Nicolau, um belo edifício barroco (originalmente uma igreja gótica) que se tornou a sede da diocese de Ljubljana, criada pelo imperador Frederico III em 1461. No final do século XVIII a catedral foi ligada por uma passagem ao palácio episcopal, residência famosa onde pernoitaram vários imperadores da Áustria, Napoleão Bonaparte, o czar Alexandre I e, mais recentemente, o papa João Paulo II.

Catedral

 Dotada de uma cúpula com dois campanários, é célebre pelos seus frescos, esculturas, vitrais, portas de bronze e outras preciosidades e está situada na Praça Cirilo e Metódio, junto ao Mercado Central da cidade.

Catedral

Em 1996, antes da visita do papa, duas das portas foram substituídas por versões de bronze monumentais. A porta da frente, agora chamada Porta Eslovena, comemora o aniversário do estabelecimento do cristianismo na Eslovénia, em 1250. A Porta Lateral, que agora se chama Porta de Ljubljana, foi decorada com os retratos dos bispos de Ljubljana no século XX.

Catedral
Catedral

Palácio Episcopal
Palácio Episcopal


Igreja Franciscana

A outra igreja que consegui encontrar aberta foi a Igreja Franciscana da Anunciação, na Praça  Prešeren. Construída no século XVII, no lugar de uma velha igreja, foi remodelada no princípio do século XVIII em estilo barroco e redesenhada no século XIX. O altar-mor foi realizado pelo célebre escultor Francesco Robba. Pertenceu à Ordem Agostiniana até 1784, altura em que os Franciscanos para lá se deslocaram, abandonando as primitivas instalações no que é hoje o Mercado Central.

Igreja Franciscana

Anexo à igreja existe o Mosteiro Franciscano, que data do século XIII, e cuja biblioteca conta para cima de 70.000 livros. O Mosteiro foi fundado em 1233 e estava inicialmente localizado na Praça Vodnik.

Igreja S. Tiago

Igreja S. Tiago (foto de arquivo)

Passei várias vezes e a diversas horas pela Igreja de S. Tiago, na Praça Levstikov,  mas encontrei-a sempre fechada. Esta igreja foi construída em estilo barroco no princípio do século XVII, no lugar de uma velha igreja gótica edificada no século XV pela Ordem Agostiniana. Adquirida pelos jesuítas em 1598, foi a primeira igreja jesuíta em toda a Eslovénia. O interior foi projectado pelo arquitecto italiano Francesco Robba, e, depois do terramoto de 1895, reconstruída por Raimund Jeblinger e Janez Šubic.

Igreja S. Tiago (Coluna da Virgem Maria)

No largo fronteiro à igreja foi erigida em 1682 uma coluna assinalando a  vitória dos Habsburg contra os turcos otomanos na batalha de Saint Gotthard. A coluna foi dedicada à Virgem Maria e desenhada por Wolf Weisskirchner.

Palácio Gruber

Palácio Gruber

Palácio Gruber

Em frente à igreja encontra-se o Palácio Gruber, onde estão hoje sediados os Arquivos Nacionais da Eslovénia.

Igreja Santíssima Trindade

Também nunca encontrei aberta a Igreja da Santíssima Trindade, das Irmãs Ursulinas, situada na Rua Slovenska, frente à Praça do Congresso.

Igreja Santíssima Trindade (foto de arquivo)

Contruída em estilo barroco, entre 1718 e 1726, o seu altar-mor deve-se também ao grande arquitecto Francesco Robba. A torre do sino foi destruída pelo terramoto de 1895, sendo reconstruída nos princípios do século XX.

Igreja Santíssima Trindade

Em frente da igreja ergue-se a Coluna da Santísima Trindade, construída em 1722. As estátuas originais, atribuídas a Francesco Robba, foram susbtituídas em 1834 por uma réplica, sendo as originais transferidas para o Museu da Cidade. Depois do terramoto, a Coluna foi reedificada e recolocada em 1927 no local actual, segundo projecto do arquitecto Jože Plečnik.

Coluna da Santíssima Trindade

Coluna da Santíssima Trindade