sexta-feira, 9 de agosto de 2013

URBANO TAVARES RODRIGUES




Morreu hoje, com 89 anos, o escritor e jornalista Urbano Tavares Rodrigues, autor de uma vasta obra literária. Militante do PCP, muitos anos exilado no estrangeiro, onde leccionou, só após o 25 de Abril lhe foi permitido ingressar como professor na Faculdade de Letras de Lisboa.

Conheci Urbano Tavares Rodrigues há já muitos anos, era ele crítico teatral do antigo jornal "O Século", onde exerceu por largo tempo essa actividade. A minha ligação ao teatro levou-me ao contacto com ele, que mantive ao longo de cerca de duas décadas.

Sendo um escritor que cultivou vários géneros literários, do romance, do conto e do ensaio à poesia e mesmo ao teatro (As Torres Milenárias), doutorou-se em Literatura em 1984, com um notável ensaio, M. Teixeira-Gomes - O Discurso do Desejo, um livro único sobre a vida e a obra do grande escritor algarvio, que chegou a ser presidente da República.

Pessoa de grande sensibilidade e de trato afectuoso, como pude pessoalmente confirmar, Urbano manteve sempre um convívio sereno e amistoso com as pessoas que não comungavam dos seus ideais, numa atitude de profundo humanismo.

Membro efectivo da Academia das Ciências de Lisboa e membro correspondente da Academia Brasileira de Letras, recebeu vários prémios literários (que não o Grande Prémio do Romance da APE nem o Prémio Camões, o que considerava uma injustiça).

Urbano Tavares Rodrigues era filho do escritor Urbano Rodrigues e foi casado com a grande escritora Maria Judite de Carvalho, já falecida.

1 comentário:

Anónimo disse...

Paz à sua alma e... mais um que nos deixa e, nos deixa mais pobres. As desgraças neste espaço geográfico não param de acontecer.