terça-feira, 14 de junho de 2016

A IGREJA DO GESÙ NUOVO, EM NÁPOLES



A igreja do Gesù Nuovo é a mais importante igreja edificada pelos jesuítas em Nápoles, tendo a sua construção sido iniciada em 1584 e terminada em 1601. Chama-se assim para a distinguir da igreja do Gesù (o Gesù Vecchio) construída em 1568 e que foi o primeiro colégio jesuíta da cidade.


O templo resulta de uma adaptação do Palazzo Sanseverino, dos príncipes de Salerno, e foi dedicado à Imaculada Conceição, cuja imagem se encontra sobre um pináculo ou obelisco (la guglia) na Piazza del Gesù Nuouvo. O palácio foi construído em 1470 e os jesuítas adquiriram-no por 45.000 ducados e transformaram-no numa igreja em estilo renascentista e barroco, decorada com mármore de várias cores.


A planta da igreja tem a forma de uma cruz grega, com três naves. Sobre a parede da porta principal existe um grande fresco representando a "Expulsão de Heliodoro do Templo de Jerusalém", de Francesco Solimena. Sobre os quatro pilares que suportam a cúpula figuram os frescos dos Quatro Evangelistas.


Na ábside, majestosa, encontra-se a estátua da Imaculada Conceição sobre um globo de mármore, ladeada pelas estátuas de São Pedro e de São Paulo. O altar-mor foi erigido em 1857 e é feito de mármores raros. Podem ver-se, a todo o comprimento, três baixo-relevos de bronze: a "Ceia de Emaús", à esquerda, a "Promessa da Eucaristia", à direita e a "Última Ceia" (reprodução de Da Vinci), ao centro.


A nave direita tem cinco capelas: em primeiro lugar a de São Carlos Borromeo; depois, a da Visitação, sob cujo altar está a urna com os restos mortais de São Giuseppe Moscati (1880-1927), que foi professor da Universidade de Nápoles; a seguir, a de São Francesco Saverio, pregador na Índia; a quarta capela é dedicada a São Francesco di Borgia, terceiro Geral da Companhia de Jesus; a quinta e última é a capela do Sagrado Coração.


A nave esquerda tem também cinco capelas: a primeira dedicada aos Santos Mártires; a segunda, dita da Natividade; a terceira é a capela do Cruzeiro, dedicada a Santo Inácio, fundador da Ordem dos jesuítas, com as estátuas de David e Jeremias; depois, a capela do Crucificação, com as estátuas dos santos Ciro e João, eremitas, existinto uma urna com o corpo do primeiro e uma urna cinerária com as relíquias do segundo; finalmente, a capela de São Francesco De Geronimo, apóstolo de Nápoles na segunda metade do século XVI. Sob o altar, num relicário, está o braço do santo.


A sacristia, monumental, possui frescos de Aniello Falcone e um lavabo de mármore policromado de Dionisio Lazzari.

A cúpula actual não é a original, da autoria de P. Valeriano, que se desmoronou no terramoto de 1688.


Sem comentários: